quarta-feira, 23 de julho de 2008

A fábula do elefante na sala

Caras, foi só o tal do martelete sair de cena, que as coisas começaram a andar. É mole? Hoje mesmo pegamos o laudo do nosso grande amigo, Ibn Farag. E o laudo é assustador ( no bom sentido ): Nós poderíamos, por exemplo, ter praticamente tirado a parede da cozinha inteira que o prédio nem ia sentir cócegas. Entregamos o dito laudo para a nossa síndica, e ao mesmo tempo, tentamos pagar ao nosso amigo engenheiro, que insiste em recusar qualquer remunreração. Mas não tem jeito. Já temos que comprar uma caixa de uíque pra distribuir nossa propina aos nossos colaoboradores: dr. Amílcar C., que tratou da liberação da papelada, o nosso já citado engenheiro, e o Jair - grande garçon! por serviços prestados nos últimos meses.
Em Bsb é assim, senhores! Paga-se salários aos empregados e propina para os amigos. Sempre existe um gasto...ou investimento, como queiram.
Entrementes, demos uma passadinha na obra, sem tirar fotos, para ver a quantas estava a nossa belicosa vizinhança. Falamos com o nosso homem das informações: Dona Antônia, a zeladora. Nossa informante, discretíssima, afirmou categoricamente que os vizinhos pararam com as reclamações, e continuou ' incrusive, us moradô tão té alugiando uns minino da obra'. 'É mesmo dona Antônia? porque?' perguntei , divertido-me com o português tão espontaneamente coloquial da zeladora. Ela disse que os pedreiros estavam fazendo pouquíssima sujeira.
Mas eu tenho uma teoria mais simples. É a teoria do elefante na sala. Vocês a conhecem? É uma estória bem rápida e eficaz. Diz que no Oriente ( sempre no Oriente: no estilo 'Mestle e pequeno gafanhoto' ) Um sujeito reclamava que a sala era pequena demais; Aí o Iluminado da estória ( fosse Buda, Confúncio; whatever.) pôs um elefante na sala do infeliz. Quando o paquiderme foi retirado, uma semana depois, o dono da casa chegou a conclusão que a sala dele, afinal de contas, não era tão pequena assim. [
O mesmo aconteceu com o tal do martelete. Fez tanto barulho , mas TANTO barulho, que agora o som das marretas deve estar soando como música para os ouvidos da vizinhança...
Eu mesmo estive lá hoje e achei o barulho lindo.

3 comentários:

Solange disse...

Adorei a história do elefante!! Bem gente, agora a coisa vai,daqui a pouco está tudo lindo e maravilhoso!!! Beijinhos!!

Gi disse...

viva o elefante!
ótimo acompanhar essa obra!

Doca disse...

Só porque a maldita máquina foi embora agora temos menos atualizações? O que tá rolando?